Ads

Diário de Gravidez - Surpresas de Primeira Viagem

Depois do susto da descoberta, (Leia Aqui). Eu gostaria de dizer que as semanas foram passando tranquilamente e a ansiedade aumentando tanto quanto minha barriga. Mas não foi bem isso que aconteceu.




Logo de cara, de acordo com o exame de sangue, eu estava grávida de dois meses, o que não fazia sentido, pois dias depois que descobri eu passei a sentir tremidinhas e chutinhos. Estava toda feliz até me falarem que podia ser gases, pois estava muito cedo para sentir o bebê se mexer. Pronto, meu mundo desabou, na minha mente surtada de grávida de primeira viagem, se o que eu estava sentindo mexer dentro de mim eram gases, então como ia saber se meu bebê estava bem?

Como descobri minha gravidez tardiamente, eu não fiz os exames de rotina que são feitos no início, como o Transluscencia Nucal, que detecta Síndromes e nenhum outro exame e o Pré-Natal só seria na próxima semana. 

Enlouqueci de preocupação, não conseguia dormir, chorava cada vez que sentia as mexidinhas... sem saber ao certo se era meu bebê que estava ali dando sinal de vida. 
Meu nível de stress foi tão grande que comecei a sentir dor. Muita dor no pé da barriga, quase não conseguia andar. 
Saí do trabalho tarde da noite, liguei pro meu marido e pedi que me encontrasse na Maternidade.
Chegando lá, fui atendida por um médico bruto, que me pediu a caderneta de Gestante, eu expliquei que tinha acabado de descobrir a gravidez e que ainda não tinha começado o Pré-Natal. Ele me olhou de cara feia e me mandou tirar a parte de baixo da roupa e deitar na maca para fazer o exame de toque (imagina a delicadeza!!). E depois colocou o aparelho para ouvir o coração do bebê. 

Ta aí um momento que eu NUNCA MAIS VOU ESQUECER. A primeira vez que ouvi um coração batendo dentro de mim. E batia rápido, forte! Não deu tempo nem de falar nada, aquele troglodita não deixou eu ouvir o coração do meu bebê nem por 20 segundos. Apenas disse: "Esse é o coração do bebê, ta tudo bem. Trata logo de fazer o Pré-Natal!".
Se eu não estivesse em êxtase por ter ouvido o coração do meu filho, eu ficaria chateada, me sentiria ofendida, afinal, quem ele pensa que eu sou?? Uma gestante relapsa, que não pretende fazer o Pré-Natal? ? Mas enfim, eu estava com a cabeça lá nos batimentos cardíacos do meu bebê, não sentia mais dor, só conseguia pensar que ele estava bem, estava forte, estava ali, vivo e eu não estava mais andando sozinha.

Continua. . .


3 comentários:

  1. momento unico,magico que DEUS dê pra vc uma hora perfeita...bjus

    ResponderExcluir
  2. Parabeens,ja quero saber de tudooo. Tenho muita vontade de ser mae futuramente.

    ResponderExcluir

Pesquise aqui no blog